1 comentário

Técnica x Paixão

Quando falamos em técnica aplicada a um instrumento, é comum que a nossa mente nos traga uma imagem de uma pessoa concentrada, estudando, praticando repetições; disciplina, organização… Já se eu te falar que vi um cara tocando e descrever a performance como algo com muita paixão, sentimento, para alguns pode parecer algo mais simples, porém mais intenso, do que se eu tivesse descrito como uma performance técnica; Nesse caso já pereceria algo mais rebuscado, impecável…

A verdade é que o título provoca um pensamente, que é até comum por aí a fora, de que Técnica e Paixão são descrições de estilos opostos, ou divergentes. Culpa da mania automática que todos nós temos, mas não é verdade.

No início do post coloquei uma foto de um batera… um mestre batera que até já citei outras fezes por aqui, que alia as duas coisas. Dom Famularo é extremamente técnico, o que se vê facilmente quando se observa ele tocando. Do mesmo modo facilmente perceptível, é a paixão que ele põe na bateria. Não só sentimento (Feeling), mas a alegria escancarada de um batera que ri enquanto toca, que deixa claro que está se divertindo e fazendo aquilo que mais ama na vida… tudo isso sem deixar a técnica apuradíssima de lado.

O domínio da técnica permite ao baterista tocar com paixão plenamente… melhor: O domínio da técnica permite ao baterista expressar de forma mais intensa e verdadeira toda a paixão que há dentro dele.

Pra que se diga, eu não to aqui falando de paixão referente a execução da música. Se a música pede aquele sentimento na condução das suas partes dentro da dinâmica, um bom baterista pode fazer isso sem precisar colocar SEU sentimento em jogo. A técnica o permite demonstra um sentimento que não é dele. O sentimento, a paixão que me refiro ela transcende a música a ser executada, ela se refere a pessoa, no caso o batera… é a relação de amor entre o batera e sua bateria! Isso vai refletir no que ele toca de forma intensa SE HOUVER TÉCNICA para conseguir expressar.

Pra resumir, é como um escritor. Ele tem uma ideia, um sentimento, uma história pra contar. Isso está concebido na mente do escritor, mas ele precisa dominar as palavras para conseguir expressar isso escrevendo. Quanto maior for o domínio, melhor ele conseguirá expressar a ideia. Funciona assim com o batera.

Então caros companheiros de panelas, não vamos tentar levar tudo só na paixão… é importante que ela exista independentemente da técnica, mas vamos buscar aperfeiçoar a técnica para que as pessoas consiga sentir melhor o que você sente e dessa formar, sua arte estará completa!

Pra fechar deixo dois vídeos para degustação; Dom Famularo, de quem já falei, e Marco Minnemann, outro monstrinho destruidor que também toca com muita paixão, alegria e técnica.

Enjoy!

Dom Famularo

Marco Minnemann

Victor Slave

Anúncios

Um comentário em “Técnica x Paixão

  1. Esse é o cara na Batera!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: